terça-feira, 8 de outubro de 2013

Comidas bizarras que na verdade são saudáveis

Não que eu esteja querendo desmerecer as tradições de outros países, mas é que me dá uma revirada no estômago mesmo. Vocês acham que nossa feijoada ou nossa buchada também não são vistos como  pratos bizarro em outros países?

Shirako

O prato japonês consiste unicamente em testículos de peixe. O negócio não é cozido ou frito, é servido cru mesmo, em forma de sushi. O mais importante é que ainda vem recheado, com sêmen! Nojento ou não, esse prato, feito geralmente com as bolas do bacalhau ou do arenque, é rico em ômega 3 e ômega  6 e é usado para fazer suplementos dietéticos. Dizem que o sabor é com um creme de ovos. É, não deixa de ser mesmo!





Tiet Canh

Vamos dar uma chegada no Vietnã agora e apreciar um dos seus pratos mais populares, o Tiet Canh. Mas o que vem nisso? A resposta é: Pato! Pato é um prato é até comum, eu sei. Porém esse é um tantinho diferente, pois ele leva todo o pato na receita. Sim, tudo, sem exceções. Agora dá uma pausa na leitura e dá uma olhada no prato pronto. Já olhou? Pelo menos o prato é bonito né? Tem aquele molho vermelho, que parece delicioso. Aquilo nada mais é do que o sangue do pato. Eu disse que era “todo” o pato. Não gosta de pato? Não fique triste, pois  essa sopa também pode ser feita de cães. Apesar da bizarrice toda, a Tiet Canh é de altíssimo valor proteico. Arrisca?






Yartsa Gunbu

Bom, agora é hora de conhecer as maravilhas do Tibet. Essa iguaria é até meio confusa de explicar, mas eu vou tentar. Imagine uma linda lagarta amarela que é acometida por um fungo. Mas como assim, eu vou comer uma lagarta com fungos? Não, você vai comer apenas o fungo que se desenvolve dentro da lagarta, que na verdade vira uma espécie de lagarta múmia. Depois que o fungo já mumificou toda a lagarta de dentro pra fora, eis que ele surge, em forma de uma haste que sai do rosto da lagarta. Aí vem um cara, pega aquela lagarta mumificada, lava e come. O fungo é o prato principal, a lagarta é só a casquinha crocante. Dizem que é afrodisíaco, tipo um Viagra Tibetano, mas também é conhecido por aumentar a resistência e melhorar a função do fígado. Parece gostoso!



Boodog

Não meu amigo, não é um Bulldog, aquele cachorrinho feio da cara amassada. Aqui o prato principal é uma cabra. A receita é bem simples, pois é só degolar uma cabra, enchê-la de pedras quentes para cozinhar, amarrar com arame e chamuscar a pele. Não tem uma cabra? Pode ser uma marmota também. Em comparação com outras carnes, como boi, frango e porco, a Boodog é considerada a “Carne maravilha”, pois tem muito menos calorias. Quer comer carne sem engordar? Boodog é a solução. Avisando novamente, NÃO confundir com bulldog.


Akutaq

Depois disso tudo, nada melhor do que um sorvetinho pra rebater né? Mas parece que lá no Alasca, a concepção de sorvete é um pouco diferente da nossa. Aqui não tem nada de chocolate ou baunilha, a parada aqui é feita com peixes e frutas frescas mantidas em gordura de alce ou rena (pobre Rudolph). A única semelhança com nosso sorvete é que é congelado. Apesar de sua nojeira, o Akutaq é bastante usado pelos esquimós, que levam o sorvete em suas expedições de caça, pois a mistura tem todos os nutrientes necessários para que passem dias e mais dias firmes e fortes na caçada. Uma grande dica é, “Nunca peça sorvete no Alasca!”


Curta nossa Página no Facebook para atualizações diárias!


Nenhum comentário:

Postar um comentário